IV Domingo do Advento

IV Domingo do Advento

ESCUTA

Escuta este salmo que brota de uma alma agradecida pelas maravilhas que Deus opera na história humana.
Na primeira leitura escutamos o desejo de Deus em vir habitar connosco, não numa casa de pedra, mas na casa da descendência do rei David, de onde vem o Messias. O grande rei tem boa intenção. Mas não somos nós que traçamos os planos a Deus, mas é Deus que associa o homem à sua obra de salvação.
Este é o grande “mistério” que é para nós. “Mistério” não trata de uma coisa que não se sabe, mas do que Deus, por graça, nos dá a saber, e que visto do nosso patamar é impensável. Maria pergunta: “Como será isso?” Não será com as nossas capacidades, mas pela graça de Deus, a quem devemos a obediência da fé.

VIVE

A obediência da fé, de que fala São Paulo, não é uma obediência cega. Seria cega se não conhecêssemos o amor que Deus tem por nós, manifestado no Seu Filho Jesus Cristo. Aí está a maravilha das maravilhas de Deus: o Seu Filho, nascido de uma virgem, vem até nós pela mão de Maria, para nos ensinar a amar como Deus. Esse é o grande mistério que nos é dado a conhecer e ao qual devemos a obediência da fé, ou seja, o seguimento. É a fonte do cântico de louvor que responde à misericórdia e bondade do Senhor. Vive também tu alegre, porque a Deus nada é impossível.

FAZ

O profeta responde ao rei: Faz o que te pede o teu coração, porque o Senhor está contigo. Mas repara como o Senhor, cheio de misericórdia, re-orienta o bom desejo do rei: Eu é que te vou fazer uma casa de descendência, de modo que Eu seja para ti um Pai e tu sejas para mim um filho. Para isso o Espírito Santo virá sobre ti. Tu apenas tens de aceitar e confiar. É o que Maria faz: Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim conforme a Tua palavra.
Talvez a tua vida não seja tão estéril como pensas. Esta semana recorda as lutas vencidas, os obstáculos superados, as mudanças operadas, as lições aprendidas. Tantas maravilhas que fazem da tua história a descendência de Deus. Termina a tua oração em cada dia com a confissão de fé: “Vós sois meu Pai, meu Deus, meu Salvador.”
Alegra-te! O Senhor está contigo.

IV Domingo do Advento