Holy Mother | Eric Clapton

Holy Mother | Eric Clapton

 

Eric Clapton, guitarrista e compositor de rock e blues, com grandes êxitos como “Layla” e “Tears in Heaven”, aquando do seu processo de conversão e de recuperação de dependência de opiáceos escreveu a música que hoje vos apresentamos. Uma música cuja leitura podemos considerar dedicada a Nossa Senhora, embora na sua autobiografia esta referência não seja clara, Clapton afirma: “Encontrei um padrão no meu comportamento que se repetia há anos, diria mesmo décadas. Más escolhas eram a minha especialidade e se algo honesto e decente se cruzasse comigo, eu evitava a situação ou fugia na direção oposta.”

A chegar ao final do mês de maio, vale a pena relembrar como Nossa Senhora ajuda tantos a encontrar o caminho para Deus e que levam o cantor a afirmar: “Eu estava em desespero total. Na intimidade do meu quarto, pedi ajuda. Não fazia ideia de com quem estava a falar; só sabia que tinha chegado ao limite das minhas forças… Ajoelhando-me, rendi-me. Pouco tempo depois, percebi isso: havia encontrado um lugar, um lugar que sempre soube que estava ali, mas de que nunca realmente achei que precisaria, nem acreditava nele. A partir desse dia, até hoje, nunca deixei de rezar pela manhã, de joelhos, de pedir ajuda; e à noite, para expressar gratidão pela minha vida e, sobretudo, por estar sóbrio.”

 

Mãe Divina

Mãe divina, onde estás?
Esta noite me sinto quebrado em dois.
Eu vi estrelas caírem do céu.
Mãe divina, não consigo não chorar.

Oh, eu preciso de sua ajuda desta vez,
Ajuda-me a passar por esta noite solitária.
Dize-me por favor para que lado ir
Para me encontrar de novo.

Mãe divina, escuta minha oração,
De algum modo eu sei que tu ainda estás aí.
Manda-me, por favor, um pouco de paz de espírito;
Leva embora esta dor.

Eu não consigo, eu não consigo, eu não consigo mais esperar
Eu não consigo, eu não consigo, eu não consigo esperar por ti

Mãe divina, escuta meu pedido,
Eu amaldiçoei teu nome umas mil vezes.
Eu senti a raiva em minha alma;
Tudo que preciso é uma mão para segurar.

Oh, eu sinto que o fim chegou,
Não mais minhas pernas vão correr.
Tu sabes que eu preferiria estar
Em teus braços esta noite.

Quando minhas mãos não mais tocarem,
Minha voz parar, eu sumir,
Mãe divina, então estarei
Deitado, salvo em teus braços.