Cohen: diálogos com Deus na escuridão

Cohen: diálogos com Deus na escuridão

O mundo volta a chorar a morte de um tão querido artista. Mas quem era Cohen?

Leonard Cohen, nascido em Montreal, em 21 de setembro de 1934 foi cantor, compositor e poeta. Principalmente conhecido pelo seu “Hallelujah” (1984) sempre manifestou inquietação com a presença de Deus na sua vida. Poucos dias antes da sua morte lança um novo álbum iniciado com um “I’m ready, my Lord” (Estou pronto, Senhor). E partiu. Partiu rodeado de poesia, de música e de religião.

Sofria de depressão, mas amava a vida, vendo na escuridão que o rodeava sempre a possibilidade do surgimento da luz “There is a crack in everything/That’s how the light gets in” (Existe uma fenda em tudo/É assim que a luz entra). É na fenda, no erro, na separação de Deus que podemos deixar realmente que Ele entre. Esta falha não é então uma ausência do divino, mas sim a janela de oportunidade para Ele se manifestar, é o momento em que o ser-humano baixa a guarda.

Kohen (do hebraico, sacerdote) fez justiça ao seu nome com uma produção musical repleta de simbologia cristã, repleta de diálogos com Deus.

 

https://www.youtube.com/watch?v=wbys4ErNg94

 

Nasci…

 

[LEONARD]

Nasci acorrentado, mas fui retirado do Egito

Estava preso a um fardo, mas o fardo foi retirado

Deus, já não consigo manter segredo

Santo é o nome, louvado seja o nome

 

[SHARON]

Fui até à orla de um grande mar de lamentos

Perseguido pelos exércitos de um cruel e negro regime

Mas as águas separaram-se e a minha alma avançou

Para fora do Egito, para fora dos sonhos do Faraó.

 

[LEONARD]

Palavra das palavras e medida de todas as medidas

Santo é o nome, louvado seja o nome

Escrito no meu coração em letras flamejantes

É tudo o que sei, nada mais sei

 

[HATTIE]

A minha alma ficou ociosa, quando ouvi que me podias usar

Continuei muito próximo, mas a minha vida ficou igual

Mas quando me mostraste onde tinhas sido ferido

Em cada átomo dito é o nome

 

[CHARLEY]

Estava perdido na estrada, o Teu amor é tão confuso

E todos os professores me disseram que me tinha de culpar a mim mesmo

Mas nos braços está a ilusão

O doce desconhecido unifica o nome

 

[LEONARD]

Palavra das palavras e medida de todas as medidas

Santo é o nome, louvado seja o nome

Escrito no meu coração em letras flamejantes

É tudo o que sei, nada mais consigo ler

 

[LEONARD]

Ouvi que a alma se desdobra nas salas desse desejo

À medida que o licor amargo adoça no copo de âmbar

Mas todas as escadas da noite caíram

Agora resta a escuridão, para elevar o desejo.

 

[LEONARD]

Palavra das palavras e medida de todas as medidas

Santo é o nome, louvado seja o nome

Escrito no meu coração em letras flamejantes

É tudo o que sei, nada mais consigo ler

 

[SHARON, HATTIE AND CHARLEY]

Agora resta a escuridão, para elevar o espírito.

 

Poderás ver um outro artigo muito interessante sobre Leonard Cohen aqui.