Godspell – O Musical da Broadway em Portugal

Godspell – O Musical da Broadway em Portugal

Adaptado para Portugal por Matilde Trocado (cujo nome é familiar a quem viu musicais como “Wojtyla” e “O Quadro”), Godspell, um musical da Brodway está nos palcos portugueses. Trata-se de um musical que conta com dez atores (entre os quais Mia Rose e Bruno Xavier, no papel de Jesus) que, sob direção musical de Artur Guimarães, nos vêm contar a história da vida pública de Jesus, a partir das grandes parábolas do Evangelho.

O espetáculo esteve em cena de 5 a 15 de março em Lisboa, no Tivoli e a 27 no Teatro Aveirense.

Alguns elementos da equipa do Post-It estiveram no espetáculo de dia 12 de março, em Lisboa. Com casa cheia, viveram-se duas horas intensas, num espetáculo com um ritmo alucinante, onde se viram representar com humor e genialidade grandes histórias do Evangelho e onde sentimos uma grande força evangelizadora a passar do palco para a sala de espetáculos.

No final, tivemos a oportunidade de conversar um bocadinho com Bruno Xavier, o Jesus deste musical, num momento de alguma partilha. Dialogamos com ele e procuramos satisfazer a nossa curiosidade: afinal, o elenco, é católico? O Bruno respondeu-nos que alguns eram, ao passo que outros nem por isso, havendo, inclusive um ateu. Ao Post-It, disse ser batizado, ter feito a Primeira Comunhão mas acrescentou: “Não sigo”. Explicou-nos depois que o trabalho com Matilde Trocado lhe tinha permitido conhecer um lado de Jesus que não conhecia.

O Post-It sabe, apesar disto, que uma forte emoção percorre o elenco, no momento da crucifixão e morte de Jesus. Afinal, também ali, em palco, se gera uma comunidade em volta de Jesus, comunidade que se estende a toda a sala, uma vez que a peça tem uma forte componente de interação com o público.

Finalmente, em jeito de conclusão, uma nota sobre o cenário. Impressiona a forma como, com um cenário simples (algumas caixas de madeira, umas cadeiras e pouco mais) se consegue uma peça de uma genialidade tal. Para quem conhece o trabalho de Matilde Trocado, para quem viu Wojtyla e O Quadro, facilmente se depara com uma evolução e um amadurecimento que confere ao trabalho uma atenção para com os pormenores que nos deixa boquiabertos e que, ora nos comove, ora nos diverte mas não pode, nunca, deixar indiferentes à forma como a mensagem de Jesus se pode adaptar a cada tempo.