Fé4Missão - O testemunho de quem acolhe missionários

Fé4Missão – O testemunho de quem acolhe missionários

“Receber este projeto chamado Fé4Missão levou-nos a descobrir como ao falarmos de missão pensamos imediatamente em ir para o estrangeiro, e nunca pensamos em fazê-la na nossa diocese. Através de cada partilha, de cada momento de oração com a comunidade que quis participar, de cada encontro com as famílias, com os agentes pastorais, etc., pôde ver-se, claramente, que aqui, a missão também é possível e necessária.

Este ano, o Fé4Missão chegou a Torres Novas com o tema “Desperta tu que dormes!” (Ef 5; 8-17). Se para os missionários seria um desafio perceber como despertar Torres Novas (é de salientar que foi a primeira vez que o Fé4Missão fez missão numa cidade), para nós que os recebíamos, o desafio não era menor, porque perceber na nossa vida onde é que estamos adormecidos, onde é que precisamos de despertar, onde é que podemos mudar também não é fácil. Não é fácil, mas com ajuda dos missionários foi-se tornando fácil.

Agora que os missionários terminaram a sua missão é importante ver o que fica. O que fica, parece-me a mim, é mais do que aparenta ser. Por um lado, com eles percebemos, que a oração quando é feita por todos, para todos, torna-se muito mais frutificante. Não precisa de ser complexa, basta ser simples como podemos ver e viver na grande Vigília de Oração. Por outro lado, através das partilhas que íamos ouvindo dos missionários percebemos que “dentro de casa” há quem precise de nós, não só as instituições e lares, mas também aquela pessoa que encontramos na rua e a quem não ligamos nenhuma. Por outro lado ainda, foi possível perceber não só através das partilhas dos missionários, mas também das conferências, que devemos desempenhar o nosso papel na sociedade, na paróquia, sem nos importarmos com o que vão dizer ou achar de nós (foi um aspeto bem visível quando os missionários faziam referência a haver pessoas que durante a animação de rua fugiam ou não queriam saber quem eram aqueles jovens, mas ainda assim, eles mantinham-se firmes na missão que ali os trazia e na fé que os guiava.)

De facto, foi visível a alegria da comunidade, a nossa alegria, ao ter 77 jovens a fazer missão na nossa cidade. Depois deste impulso que o Fé4Missão deu a Torres Novas ficou um desafio à comunidade: continuar o que com eles começaram, porque há muito a fazer para despertar esta cidade! É nisto que todos nos devemos empenhar agora!

Emanuel Lucas

(Torres Novas)