Fé4Missão 2015

Fé4Missão 2015

Eis chegada a hora de ver o que os nossos missionários viveram na missão deste ano. Aqui estão alguns testemunhos:

Eu despertei!! E tu??

“Procuro descrever através destas linhas o que foi a minha vivência no Fé4Missão 2015 e dou por mim a dar Graças a Deus pelas maravilhas que ele faz em mim e pelo amor que tem por todos nós. Sinto-me envolvido por aquela alegria que transborda por todos os poros, aquela vontade de sair à rua como fizemos em Torres Novas para evangelizar e gritar bem alto que sou feliz porque Deus continua hoje a conduzir a minha vida mesmo nos momentos de maior dúvida.

E foi com essa dúvida e algum receio que me entreguei à sua vontade e no meio de tantas peripécias e incertezas arrisquei à descoberta e aprofundamento da minha fé através do serviço aos outros. Diz Santo Agostinho «é viva a palavra quando são as obras que falam» e foram tantas as obras de missão que deram vida e forma à passagem da Carta aos Efésios, “Desperta tu que dormes.”

Sim, eu e tu precisamos de despertar do nosso conforto, daquilo que achamos que é por direito nosso e adquirido, das nossas trevas interiores. Esta missão foi como que deixar que fosse Deus a atuar em mim, por outras palavras, confiar nele. Colocar nas mãos dele o pouco que sou e tenho, libertar-me da escuridão em que tantas vezes ando mergulhado e sair sem medo à rua e responder ao desafio do Papa Francisco que pede aos jovens para serem mensageiros da alegria do Evangelho.

Vivi emoções muito fortes durante estes dias, conheci gente incrível, fiz amigos, partilhei experiências, rezei. Não consigo esquecer a ida ao Lar do CRIT, onde com tão pouco transformamos em muito o dia de pessoas com necessidades especiais. O sentir a adrenalina de abordar as pessoas na rua sem discurso feito e deixar que as palavras fluam ao anunciar a nossa fé e a mostrar aos outros a alegria de ser missionário.

O culminar de todos estes sentimentos e vivências foi a vigília de oração onde confesso que estava ansioso e senti um “nervoso miudinho” ao olhar para dentro daquela caixa e ver rosto de Cristo que afinal era o meu e comprometer-me com ele em frente à cruz.

Resta-me agradecer a todos os voluntários pela partilha, pelo testemunho por todos os momentos em que fomos o rosto, as mãos e a voz de Cristo. A missão continua hoje e amanhã e todos os dias, mas agora na família, nos amigos, no trabalho, no estudo, em nós próprios.

Obrigado Senhor por me despertares para a missão, por fortaleceres a minha fé, queira eu o que Tu queres.”

Samuel Feitor

(Alcobertas)

Fé4Missão-Testemunhos

“Missão??? Quando me falaram em fazer missão, admito que fiquei reticente…

“O que me espera?!”, foi o que pensei mas, mesmo assim, decidi arriscar… Estaria a aproximar-se a minha primeira missão… Foi no dia 20 que tudo começou…

Ao chegar percebi que poderia deixar todos os meus medos e inseguranças de lado e que, devia aproveitar ao máximo o que esta semana teria para me dar. A verdade é que, desde o primeiro dia, a missão me deu muito e me fez receber ainda mais! DESPERTOU-ME para as minhas inseguranças e ajudou-me a superá-las… Fez-me perceber que tinha adormecido para a minha família, para os outros em meu redor e até mesmo para mim! Percebi que tinha que despertar, também, para a oração e para a minha fé! Compreendi que, para levar a palavra de Deus aos outros e para os despertar para a sua fé e para Deus, tinha que fazê-lo em mim primeiro. E assim foi… Além de tentar despertar outros corações, esta missão despertou-me a mim e deu-me força para conseguir manter a Luz de Deus acesa no meu coração e despertá-la no coração do próximo.”

Madalena Ferreira

(Santarém)

Fé4Missão-Testemunhos2

“Vontade de Deus. Terminada a Missão em grupo (porque a missão continua na vida diária de cada um), despertei finalmente para o meu despertar. Despertei para a vontade de Deus. E é Ela que comanda toda a nossa vida.

Quis Deus que, naquele Domingo, tivesse ido à missa do meio-dia, como acontece em tantos outros Domingos. Quis Deus que o grupo do Fé4Missão lá estivesse presente. E quis Deus que eu quisesse abraçar esta missão. E foi assim que tudo começou. De forma espontânea. Desprendida. Alegre. E, sobretudo, cheia de vontade e de acolhimento.

Despertar para Deus é despertar para si e para o outro. Despertar para o que podemos oferecer de nós ao outro. Despertar para a entrega pura e desinteressada. Temos tanto, tanto para dar! Temos tanto, tanto, e raramente despertamos isso. Raramente despertamos para aquilo que temos de melhor, para a melhor pessoa que poderemos ser, e deixamo-nos ficar no conforto do que já somos, no conforto desta rotina que não nos deixa propriamente felizes nem realizados, mas é aquela que conhecemos, é aquela que podemos prever. Mas também é aquela que nos adormece. E como poderemos ser realmente felizes se estamos a dormir? Sabem, aquela felicidade que vem de dentro e transborda por cada poro, que nos enche de alegria, que nos deixa um sorriso no rosto, porque não pode ser de outra maneira. Despertei para o que de melhor posso oferecer a quem me rodeia. E o quão faço feliz o meu irmão quando lhe ofereço o melhor de mim. E a felicidade do meu irmão é a minha própria felicidade.

Quer Deus que cada filho seu seja feliz. Compreendi que a verdadeira felicidade alcança-se quando seguimos o seu caminho. Muitas vezes, não é claro. Muitas vezes, traz alguma dor. Mas, percebi, qualquer dor que se nos atravesse no caminho tem um propósito. E não é inultrapassável. Perguntemos “para quê?” e deixemos o “porquê?” para Deus. Ele lá saberá. Aceitemos e confiemos. É difícil confiar em algo que não depende de nós, não é? É como sermos cegos e sermos guiados pela pessoa que está ao nosso lado. E, se for uma pessoa que nos queira bem, não nos deixa cair. Deus só nos quer bem, como poderia nos deixar desamparados?

Este será o meu desafio e a minha missão de todos os dias: entregar e alimentar o melhor de mim, despertando dia após dia para o que Deus quer de mim.

E adivinhem lá: não é assim tão difícil!

Obrigada, Fé4Missão!

A vossa missionária,

Telma Gomes

(Torres Novas)