Bolo Rei

Bolo Rei

Um dia destes estava a rezar e estão a ver aqueles momentos em que somos confrontados com uma cena que até ficam parvos? Tipo… Um sinal que vem lá de cima e que ilumina totalmente as vossas orações…. Foi isso que me aconteceu. No meio da minha oração lembrei-me de Bolo Rei.

Eu gosto muito de Bolo Rei. E descobri que o Bolo Rei é um bocado como Jesus. Não fisicamente. Fisicamente acho que são diferentes. Imaginem os altares das igrejas de todo o mundo se por detrás houvesse uma imagem de um Bolo Rei. Ou o início das procissões… Com um Bolo Rei no topo de uma vara grande a abrir caminho… Pequenos Bolos Reis desenhados em pagelas dados a crianças no dia da primeira comunhão… Um às cores… Outros a preto e branco…. Seria interessante.
Mas não… Não estou a falar na aparência da coisa…. Estou mesmo a falar da nossa atitude. E acreditem… Nós temos um problema de atitude com o Bolo Rei.
Vamos aos factos… O Bolo Rei está cheio de coisas maravilhosas e saborosas que são boas para nós. Ele é cerejas, ele é laranjas, ele é passas, ovos, farinha, ele é figos, ele é aquela fruta verde cristalizada grande que ninguém sabe o que é mas é boa na mesma, ele é pinhões, epá… Tudo coisas boas. Se pensarmos bem, provavelmente poderíamos viver muito tempo só a Bolo Rei.
E, agora reparem… De certa forma, Jesus também está cheio de coisas boas e maravilhosas para nós… Ele é Fé, Esperança, Amor, Paz, Perdão, Coragem, uma missão para cada um de nós que (sejamos honestos) ninguém sabe muito bem o que é mas que sabemos que é boa na mesma… Todo um cocktail de coisas boas que toda a gente quer, mas que só temos em Jesus Cristo.
Mas… oh oh… Cuidado com isto! “Pode conter nozes.”
Pode conter nozes? Epá…. Então? Que carga de trabalhos que está para aqui arranjada. É que, meus amigos, é aqui que está o problema: alguns povos não vão simplesmente aceitar o Bolo Rei porque tem nozes. E as nozes são sagradas. Não se podem comer. Depois temos os frugivoristas que por decisão ética não comem nada a não ser frutas, verduras ou legumes. Por isso, temos pena, não vai dar também. Depois temos as pessoas alérgicas, que até podiam gostar de nozes, mas podem ficar doentes se o fizerem. Podem até ter uma reação violenta e morrer. E acreditem…. Há gente neste mundo a pôr a sua saúde e vida em causa por continuar a insistir no Bolo Rei apesar da situação em que vivem. Mas, ainda assim, a maior parte das pessoas não comem Bolo Rei não por uma questão de saúde, mas porque tiveram uma exposição ao Bolo Rei no passado e não gostaram ou então nunca provaram e pronto… Já decidiram que não gostam. Porquê? Porque pode conter nozes. Algumas pessoas também já tiveram alguma exposição à Igreja de Jesus e decidiram que não gostam nem nunca vão gostar na vida por causa do raio das nozes. Mas… Se tivemos experiências negativas com o Bolo Rei ou com a Igreja (já nem sei do que é que falo), talvez ainda não tenhamos provado vezes suficientes para descobrir a receita certa. E há tantos carismas na Igreja, tanta Paróquia, tanto Padre e tanta Pastelaria que talvez devêssemos ter em consideração que se calhar estamos a desistir cedo demais.
Deus ama-nos e Ele enviou o seu filho para que o provássemos. Prova e vê. Vais ver que vais gostar…
Mas é provar a sério. E comentar o sabor. Partilhá-lo com os outros. Mesmo que não gostes… Há sempre algumas pessoas que teimam em fazer uma apreciação à receita deste Bolo Rei… Descrevem tudo e falam da teoria e da beleza da farinha e dos ovos que se juntam no verbo “fermentar” que veio ao mundo e cozinhou por nós e está vivo em cada Natal e em cada Páscoa e é quando o homem quiser e tal. Eu às vezes também faço isso… Mas sabem que mais? A igreja já tem pregadores suficientes… E o júri para os “Masterchefs” e “Best Bakeries” da vida já está escolhido. Precisamos todos de nos atrever a partilhar a que nos sabe a nossa fatia de Bolo Rei. Sair da Teoria e da Pregação e perceber o que é realmente uma partilha. Uma opinião. Uma vivência. O que é que eu acho deste Bolo Rei? É farinha e ovos que se juntam no verbo que veio ao mundo e cozinhou por nós… Não! É bom? É mau? É difícil? Sabe bem? Saiu-me a fava outra vez? Ou o brinde? Quando é que foi a última vez que comi Bolo Rei? Se calhar já não o provo há muito tempo…
E, sejamos honestos… Nós até podemos saber que nem toda a gente gosta de Bolo Rei e consome regularmente. Mas meus amigos… Ele vai estar na mesa independentemente disso. É que as pessoas insistem em servi-lo independentemente disso. Não falha!
Ou então, oferecê-lo como presente. Nunca receberam Bolos Rei como presente? Eu já. E vamos lá a ver uma coisa…. É um presente que podemos dar a qualquer um. No outro dia ouvi uma piada que dizia que na realidade só há um Bolo Rei no mundo, as pessoas apenas continuam a oferecê-lo de um ano para o outro. Reciclam o presente… Se é que me faço entender… E um bom Bolo Rei, na realidade, fica muito melhor quando o partilhamos.
Jesus também é assim. Ele realmente só é Boa Nova quando é partilhado. Jesus é totalmente “reciclável” e pode ser oferecido infinitas vezes.
Partilhem com os vossos amigos, família e conhecidos. Apontem para o Bolo Rei que está na mesa todos os anos. Ele esteve lá este tempo todo.

Conhecer Jesus é uma coisa maravilhosa que pode transformar a nossa vida. Dá-Lhe mais uma oportunidade. Prova e vê…. Tal como o Bolo Rei. Vais-te surpreender.