O Sim de Maria

O Sim de Maria

Evangelho segundo São Lucas 1,26-38

Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José. O nome da Virgem era Maria. Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo: «Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo; bendita és tu entre as mulheres». Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que saudação seria aquela. Disse-lhe o Anjo: «Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo. O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David; e o seu reinado não terá fim». Maria disse ao Anjo: «Como será isto, se eu não conheço homem?» O Anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus. E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice porque a Deus nada é impossível». Maria disse então: «Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra».

O Evangelho do quarto domingo do Advento é uma das passagens bíblicas mais conhecidas e rezadas. E apesar de ser impossível não nos maravilharmos com o convite feito por Deus, através do Anjo Gabriel, a Nossa Senhora,  hoje convido-vos a rezar a responsabilidade de Maria num momento que iria mudar a sua e a nossa vida para sempre.

Se realmente nos salta quase imediatamente à atenção o Sim de Nossa Senhora e se essa é das principais coisas que temos de aprender com o seu exemplo, tão importante é também o diálogo que se estabelece antes desta resposta: Nossa Senhora tem as suas dúvidas e incertezas que se materializam numa pergunta, o que, de certa forma, é expressão da própria caminhada de fé de todos os homens e mulheres. Só depois de ter as suas dúvidas esclarecidas é que Nossa Senhora dá o seu Sim. Mais do que sinal de confiança, fé e serviço, é sinal de responsabilidade numa resposta decisiva.

E nós? Como é que olhamos para mais este exemplo que Nossa Senhora nos dá? Vivemos a nossa vida com responsabilidade? Suportamos os nossos Sims de forma concreta em decisões conscientes? Ou equilibramo-los atrapalhada e apressadamente sobre impulsos momentâneos e esporádicos?

Que possamos esta semana rezar o diálogo que Deus continuamente tem com cada um de nós. Um diálogo que nos chama ao serviço e à entrega mas que está sempre preparado para receber as nossas dúvidas e incertezas, desde que façam parte de um caminho responsável e sustentado rumo a cada um dos nossos Sims.

Henrique Delfina