Ser Misericordioso

Ser Misericordioso

Um obrigada à Carolina Coelho pelo mote para esta oração. Que sejas sempre Luz e Sal da Terra na simplicidade e no amor.

Prepara o teu coração para este momento de oração. Pára um pouco na agitação da tua semana, do teu dia, da tua vida. Ouve o cântico abaixo e permite-te saborear esta sede de Deus e a maravilha que é ter um Deus que te ama, tranquiliza, sustem e acompanha em cada momento.

Hoje o Post-it sugere-te centrares a tua oração numa oração da Santa Faustina, uma Santa polaca considerada a apóstola da Divina Misericórdia e padroeira das Jornadas Mundiais da Juventude 2016 em Cracóvia, Polónia.

Santa Faustina, de seu nome Helena Kowalska, era uma menina ‘simples’ que, não procurando demostrar nada, mostrou ao mundo que os homens ‘simples’ escondem um grande potencial e só a eles cabe decidir usá-lo, pô-lo a render, a dar frutos. Ao entrar na Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia recebeu o nome de Faustina, que significa “feliz”, conheceu o amor misericordioso de Deus, aprendeu a confiar Nele, mesmo em situações difíceis, e formou a sua vida no espírito da Misericórdia de Deus, que pôde proclamar de modo autêntico. Jesus disse-lheEnvio-te a toda a humanidade com a Minha misericórdia (Diário, 1587). Incumbiu-a assim da tarefa de recordar e proclamar ao mundo a verdade sobre o Seu amor misericordioso: pela vida, obras, palavras e oração.

Retirado de: Santos Patronos – JMJ 2016

Esta era uma das suas orações:

Ajudai-me, Senhor, para que os meus olhos sejam misericordiosos, de modo que eu jamais suspeite nem julgue as pessoas pela aparência externa, mas perceba a beleza interior dos outros e possa ajudá-los.
Ajudai-me, Senhor, para que os meus ouvidos sejam misericordiosos, de modo que eu esteja atenta às necessidades dos meus irmãos e não me permitais permanecer indiferente diante de suas dores e lágrimas.
Ajudai-me, Senhor, para que a minha língua seja misericordiosa, de modo que eu nunca fale mal dos meus irmãos; que eu tenha para cada um deles uma palavra de conforto e de perdão.
Ajudai-me, Senhor, para que as minhas mãos sejam misericordiosas e transbordantes de boas obras, nem se cansem jamais de fazer o bem aos outros, enquanto, aceite para mim as tarefas mais difíceis e penosas.
Ajudai-me, Senhor, para que sejam misericordiosos também os meus pés, para que levem sem descanso ajuda aos meus irmãos, vencendo a fadiga e o cansaço; o meu repouso esteja no serviço ao próximo.
Ajudai-me, Senhor, para que o meu coração seja misericordioso e se torne sensível a todos os sofrimentos do próximo; ninguém recebe uma recusa do meu coração. Que eu conviva sinceramente mesmo com aqueles que abusam de minha bondade.
(…)

Santa Faustina

 

Os dois grandes desafios que te são lançados neste Ano Jubilar da Misericórdia são que saibas reconhecer os olhos, o abraço, a presença misericordiosa de Deus e que sejas tu próprio misericordioso nas palavras, gestos, obras e na oração, à semelhança do Pai.

“Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso” (Lu 6, 36)

Nas Escrituras são múltiplos os exemplos da misericórdia de Deus, mas na nossa vida do dia-a-dia, mais ou menos explicitamente, ela também se manifesta. Quando foi a última vez que olhei à minha volta e observei a misericórdia de Deus em ação? Ando atento às graças que Deus opera ao meu redor? E na minha vida?

Tira uns minutinhos agora para rever a tua vida: o que já se passou neste dia, nesta semana, neste mês… escolhe a escala de tempo que achares adequada e procura identificar quando foi a última vez que sentiste o abraço misericordioso de Deus. O que aconteceu nesse momento? O que sentiste de diferente?

E tu? Os teus olhos (a forma como olhas os outros), a tua língua (a forma como falas e o que dizes), os teus ouvidos (escutas de verdade?), as tuas mãos e pés, são misericordiosos? E o teu coração? Quando foi a última vez que levaste a misericórdia de Deus a alguém através de obras? E através de palavras? Foca-te nesses momentos em concreto, o que sentiste?

Também a oração, por si só, pode ser uma maneira de recordar e proclamar o amor misericordioso do Pai ao Mundo, como Jesus pediu a Santa Faustina. Como vai a tua oração? Guardas tempos e espaços específicos para a oração? Ou vais rezando a tua vida com a tua própria vida e à medida que ela acontece?

Pede perdão a Deus pelas vezes em que julgaste o outro pela sua aparência, foste indiferente às lágrimas ou às dores de alguém, falaste mal do outro, não estendeste a mão ou não te puseste a caminho para ajudar quem precisava.

Termina este momento de oração comprometendo-te com Jesus a rezares esta oração da Santa Faustina como o teu compromisso de ser misericordioso; para que sejas melhor a cada dia e a Sua misericórdia cresça no teu coração e nas tuas palavras e obras. Porque só o Pai te pode ajudar a ser como Ele e te dá tudo para que O possas levar aos outros, para que possas levar a Sua misericórdia aos outros.

“Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso” (Lu 6, 36)