II Domingo do Advento

II Domingo do Advento

Escuta

Marcos abre o seu evangelho com uma confissão de fé: Jesus Cristo é o filho de Deus. Ele é Aquele-que-vem para ficar no meio de nós. Ao seu serviço, de modo a preparar os corações para a sua vinda, está João Batista, o mensageiro do deserto com a sua vida austera. João é a voz do deserto. Jesus, o que batiza no Espírito Santo, é a Palavra. Este domingo convida-nos a descobrir que os caminhos a preparar não são tanto os nossos caminhos para Deus mas os caminhos de Deus para nós. O convite à conversão e a imagem do deserto levam-nos a centrar naquilo que é fundamento e essencial, a deitar fora o secundário, acessório e superficial. Por isso, «como deve ser santa a vossa vida e grande a vossa piedade, esperando e apressando a vinda do dia de Deus».

Vive

O tempo de Deus não é o nosso tempo. Um dia, para Ele, é como mil anos, e mil anos como um dia. É a paciência de Deus que espera a nossa conversão e arrependimento, os quais, ao mesmo tempo, apressam e provocam a vinda do Senhor. Essa espera é mais uma oportunidade que te é dada. Não a desperdices esta semana: enquanto esperas, empenha-te “sem pecado, nem motivo algum de censura, para que o senhor te encontre em paz”. O Senhor vem: essa é a boa notícia! Quem o acolhe torna-se arauto dessa boa notícia. Por isso, deixa Deus falar-te ao coração para experimentares e passares a alguém essa esperança consoladora.

Faz

Ao longo desta semana procura criar, em cada dia, um momento de oração, para que Deus te fale ao coração. Levanta os vales das tuas dúvidas e medos. Abate os montes e as colinas do teu orgulho e auto-suficiência. Endireita os caminhos dos teus critérios de vida e das tuas opções. Aplana as veredas escarpadas do teu pecado. Deixa que a tua conversão não seja um esforço só teu mas sobretudo uma ação de Deus em ti. Agarra cada oportunidade desta semana para melhorar ou mudar algum aspeto da tua vida. E se for possível, dá testemunho da tua experiência a alguém.

 

II Domingo do Advento