Torna-te aquilo que és -Da imitação à autenticidade

Torna-te aquilo que és -Da imitação à autenticidade

PI_972_24102013125131597_31224601Informações

Título: Torna-te aquilo que és –Da imitação à autenticidade

Autor: James Martin, SJ

Editora: Paulinas

Número de Páginas: 120

ISBN:   978-972-751-953-8

Ano de Publicação: 2009

Sinopse

«Para mim, ser santo significa ser quem sou,» escreveu o monge trapista Thomas Merton. Mas que significa sermos quem somos? Nesta profunda meditação sobre o conceito do «verdadeiro eu» de Merton, James Martin ajuda os leitores a compreenderem quem são e, ao longo desse processo, a descobrir a vocação da sua vida. Inspirando-se na vida dos santos e de mestres espirituais contemporâneos, Martin mostra como procurar conhecermo-nos a nós próprios é, em última análise, procurar conhecer Deus. «Provavelmente não haverá nada mais importante para a religião prática do que a descoberta do eu que temos de perder e do eu que temos de encontrar. Jesus foi o primeiro a dizê-lo, Thomas Merton tornou-o claro, e James Martin, por incrível que pareça, tornou-o ainda mais claro» (Fr. Richard Rohr, OFM – Centro de Acção e Contemplação, Novo México). in Paulinas

Comentário

Hoje venho aqui sugerir um livro que marcou e continua a marcar a minha história porque me deu uma perspetiva diferente daquilo que é a vontade de Deus a meu respeito e a respeito de todos os homens. E a vontade de Deus a respeito de cada homem é que seja Santo como Ele é. Que seja feliz como Ele é. Deus quer tudo isto em relação connosco, uma relação diária, constante como é constante e diário o convite, o desafio a sermos Santos e felizes. Ao ler este livro apercebi-me, na minha vida da constância de Deus e do seu convite. Este convite é de tal forma pessoal que se destina a “mim”, ao mais íntimo e verdadeiro eu. É um convite que não implica um anular de quem somos mas que se alimenta do que somos de facto. É um convite a um regresso às origens, às nossas origens, aos sonhos de Deus de onde todos vimos…

 

António Canto