O que é um santo?

O que é um santo?

Junho é mês de Santos Populares! As marchas, os arraiais, os manjericos e os martelos enchem as ruas de Lisboa, do Porto e um pouco por todo o país para celebrar o Santo António, o São João e o São Pedro. António, João e Pedro são três santos já bem antigos da Igreja Católica, que inspiram vários festejos e celebrações durante o mês de junho. Mas o que é um santo? Quem foi o primeiro santo da Igreja Católica? Porque é que celebramos a vida dos santos? Todos nós, pelo nosso Batismo, somos chamados por Deus à santidade e, por isso, as vidas dos santos devem inspirar-nos a seguir esse caminho! 

Um Santo é alguém cuja vida de entrega a Deus serve de referência  e inspiração para os católicos. A canonização é um processo, pelo qual a Igreja Católica declara a santidade de alguém. O processo inicia-se através do Bispo da diocese onde essa pessoa faleceu. Nesta fase, a pessoa é reconhecida como “servo de Deus”. Neste processo, há um postulador que é a pessoa encarregada de reunir toda a informação e testemunhos sobre esse servo de Deus no processo diocesano. Posteriormente, essa informação é à Congregação para a Causa dos Santos, em Roma, onde é nomeada uma comissão de peritos e de médicos para verificar a documentação e os milagres. Se as virtudes da pessoa são reconhecidas como heróicas, com base na fé em Jesus Cristo, a pessoa é declarada “venerável”. Significa que pode haver veneração pública dessa pessoa.

Santa Teresa de Calcutá foi canonizada a 4 de setembro de 2016, em Roma, pelo Papa Francisco

Se durante este processo de análise, se verificar um milagre, o processo é entregue ao Santo Padre, que declara a pessoa Beato (ou Bem-aventurado). Por milagre, entendemos qualquer gesto que a Ciência não consegue explicar. Se houver outro milagre comprovado como tal, o Papa proclama esse Beato como Santo, dando-se assim o processo de canonização propriamente dita. Este processo só deve ser iniciado 5 anos, após a morte da pessoa, salvo algumas exceções. Por exemplo, Santa Teresa de Calcutá foi canonizada 3 anos depois de ter falecido, a pedido do Papa S. João Paulo II. 

Nos primeiros séculos de existência da Igreja Católica, não era conhecido um processo formal para a canonização. O primeiro santo canonizado de forma oficial foi o Ulrico de Ausburgo, no ano de 973, pelo Papa João XV. Existem 81 Santos portugueses e 61 beatos. S. Francisco e Sta. Jacinta Marto foram os últimos a ser canonizados, em 2017, pelo Papa Francisco. 

Muitas vezes, surge a dúvida sobre a adoração dos santos ou imagens pelos católicos. No entanto, os católicos apenas veneram as pessoas representadas nas imagens. Os católicos só adoram a Deus!

S. Franciso e Sta. Jacinta Marto foram canonizados pelo Papa Francisco, a 13 de maio de 2017

E a ti, que Santo te inspira?